Microcamp: uma empresa que respeita a diversidade

Em um país como o Brasil, onde estudos apontam que 61% dos profissionais LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais ) não se sentem confortáveis para se assumirem no trabalho, e a maioria ainda enfrenta grandes desafios no mundo corporativo, a Microcamp se orgulha de ser uma empresa que respeita a diversidade.

Uma empresa que não seleciona seus colaboradores pela raça, cor, credo, ideologia política, identidade de gênero, mas tão somente por critérios técnicos de capacitação profissional. Agindo assim, pratica a meritocracia, promove a inclusão de diversas minorias, estimula o debate e a conscientização de seus colaboradores sobre a importância do combate à discriminação. Dessa forma, também colabora para a construção de um ambiente corporativo mais acolhedor, com menos preconceitos e oportunidades iguais a todos.

Internacionalmente, 28 de junho, é o dia do Orgulho LGBTI+, mas para a Microcamp, todo dia é tempo de promover o respeito, a inclusão e de fortalecer o sentimento de união sem distinções. E sempre é hora de inovar, não só na área tecnológica, mas adotar também mudanças comportamentais, capazes de construir uma sociedade mais justa e melhor.

Revendo conceitos

O dia 28 de junho de 1970 ficou marcado, historicamente, como o Dia do Orgulho LGBTQ+ em resposta a uma ação violenta de policiais à comunidade, nos Estados Unidos, no ano anterior. Desde então, o Orgulho Gay fortaleceu-se como um movimento de união e exaltação à diversidade.

Mas cinquenta anos depois, o mercado de trabalho ainda apresenta uma desigualdade quanto ao compromisso com a inclusão de LGBT´s no âmbito corporativo. Ainda são poucas as empresas que divulgam informações referentes ao orgulho LGBT e adotam políticas que promovam a diversidade.

Isso, apesar da comunidade LGBT no Brasil representar cerca de 20 milhões de pessoas e corresponder a aproximadamente 10% do PIB nacional, segundo a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais.

Estudos também apontam que empresas que são adeptas da diversidade com suas equipes, costumam ter melhores resultados financeiros e também maior índice de motivação e produtividade. Isso porque profissionais diversificados  se mostram mais criativos, com mente aberta, mais dispostos a correr riscos e mais sensíveis às causas sociais. É hora de rever conceitos.