Mc Indica – Histórias em Quadrinhos

Indicações de HQs

Gostou da leitura e indicações de histórias em quadrinhos no artigo anterior?

Nosso designer Bruno Cruz tem mais duas indicações para vocês. Confira!

Unanimidade é algo extremamente raro quando falamos de entretenimento, seja por TV, livros ou séries. No entanto, as duas indicações de hoje aqui nesta coluna, são uma destas raras unanimidades entre todos os leitores assíduos em quadrinhos. Já antecipo que ambas as leituras são longas, porém vale cada página. Aliás, vale ressaltar que as duas indicações são escritas por gênios do universo comics.

1. Batman – O cavaleiro das trevas


Batman Cavaleiro das Trevas HQ

Frank Miller, roteirista de 300, Sin City e Ronin, é também o responsável por duas das melhoras histórias já escritas sobre o homem morcego, Batman – Ano um e Batman – O cavaleiro das trevas.
Na primeira ele apresenta o início da trajetória de Bruce Wayne como vigilante noturno, e na segunda, ele traz a vida pós aposentadoria.

E é sobre esta segunda que vamos falar hoje, porque não é uma história comum sobre o Batman. Batman a cavalo, Duas Caras, Coringa, Superman, gangue mutante, filhos do Batman. Ah, esta não é uma história comum mesmo! O final é dos mais surpreendentes e muito de seu enredo foi usado em alguns filmes posteriores e inclusive estará presente no novo filme do homem morcego, estrelado pelo brilhante Robert Pattinson.

Numa breve sinopse…

O Batman sumiu. Gotham já não é tão perigosa quanto fora um dia. Bruce Wayne se encontra com Jim Gordon para lembrar os velhos  tempos. Uma nova gangue aparece na cidade, a gangue mutante. Duas-caras planeja um novo assalto, o Coringa arma um plano para fugir do Asilo Arkham, só que desta vez ele terá que enfrentar um Batman com sede de vingança, bruto e mortal!

E quando as coisas parecem fugir do controle, Superman aparece para tentar acalmar Bruce Wayne e isto encadeia a briga mais épica entre Batman vs Superman.

Snyder até tentou, porém sem sucesso, replicar este duelo nos cinemas. Então antes que apareça qualquer relação entre esta HQ e o filme lançado há alguns anos na sua cabeça, saiba que ela simplesmente não existe.

Batman – O Cavaleiro das trevas, é uma história de herói, daquelas de vibrar a cada virada de página. Vá em frente, vale MUITO a pena.

2. Watchmen

Watchmen

Alan Moore retorna aqui nesta coluna com sua maior obra-prima. Watchmen não é sobre heróis, é sobre pessoas. Watchmen é sobre humanidade e a falta dela. É também sobre tempos sombrios que assolaram os Estados Unidos e a União Soviética na década de 80.

Há alguns bons anos, o mesmo diretor que tentou trazer Batman vs. Superman às telas, trouxe também Watchmen.  Embora eu tenha muitas ressalvas para a adaptação às telonas, MUITAS, devo dizer que ela não chega a ser  tão ruim quanto a adaptação do Homem Morcego.

O grande problema é a forma que foram retratados os personagens nas telas, dando a entender que são algum tipo de heróis com poderes ou algo assim. Porém como eu disse no início deste texto, Watchmen definitivamente não retrata heróis. E sim humanos com poderes legislativos além de outros humanos. Como chave principal do enredo da história de Alan Moore inclusive temos a famosa frase de Juvenal “Quem vigia os vigilantes?”.

Numa breve sinopse…

No ano de 1985, Estados Unidos e União Soviética travam uma guerra silenciosa sobre armamentos nucleares. E nesta corrida armamentista, durante um experimento, John Osterman se torna a arma mais letal de todas, Dr. Manhattan.

O relógio da humanidade caminha rumo à meia-noite, e nela ex-vigilantes do grupo Watchmen aparecem mortos pela cidade. Um destes ex-vigilantes, Rorschach, então lidera uma investigação para tentar se livrar desta ameaça, o que ele não contava, no entanto, é que a ameaça era para o mundo todo….

Uma história noir, com belos traços de Dave Gibbons e que é recheada de humanidades, em todos os sentidos e expressões distintas de sentimentos. Dos melhores aos piores. Watchmen é uma eterna relíquia e talvez para alguns a melhor história em quadrinhos de todos os tempos. Não à toa figura entre as 100 melhores obras inglesas de todos os tempos.

Vale a pena, MUITO A PENA… Leia 😉

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial